Trabalhadores de uma usina encontraram o corpo de um homem no final da manhã desta terça-feira (23), em uma propriedade rural que fica às margens da Rodovia Antônio Machado Sant’Anna, estrada que liga Araraquara a Ribeirão Preto, já na cidade de Américo Brasiliense.

A Polícia Militar foi chamada e registrou a ocorrência, que pode ter ligação com o homem recentemente atropelado e sequestrado por criminosos na Avenida Plínio de Carvalho, na região da Vila Xavier, em Araraquara.

Segundo informações apuradas no local, os funcionários perceberam o corpo depois que as lâminas da colheitadeira atingiram o cadáver.

Partes da vítima foram lançadas pelo implemento para a carreta de um veículo de transporte, o que chamou a atenção dos trabalhadores.

Segundo a Polícia Civil, análises preliminares indicam que o corpo estava ali há pelo menos 10 dias. Quase o mesmo tempo em que foi registrado o desaparecimento do homem, no dia 11 de junho.

O caso foi registrado pela Delegacia de Américo Brasiliense. “Nós solicitamos a realização de DNA, coleta de digitais e outros exames para a identificação. O corpo estava em avancado estado de decomposição o que dificulta a identificação nesse momento”, explicou o delegado, Jesus Nazaré Romão.

O corpo foi recolhido pela Funerária Sinsef e encaminhado para o Instituto Médico Legal de Araraquara. Ainda não é possível afirmar as causas da morte.

Homem desaparecido

A suspeita é de que a vítima seja o homem desaparecido desde o dia 11 de junho. Ele foi visto pela última vez por testemunhas ao ser atropelado e em seguida sequestrado na região da Vila Xavier.

O crime foi por volta de 10h segundo uma testemunha que mora em frente ao local em que tudo aconteceu. A vítima transitava com uma bicicleta motorizada quando foi atingida na traseira por um Fiat Punto de cor cinza. O vendedor caiu no chão. O carro teria dado marcha a ré e novamente avançado para cima da vítima que teria fraturado o braço nesse momento e gritado por socorro.

Uma picape de cor verde apareceu logo em seguida. Dos dois veículos saíram três suspeitos afirmando as testemunhas que se tratavam de policiais e que o rapaz caído era um estuprador. O trio colocou o vendedor dentro do Punto e saiu em disparada. As testemunhas chamaram a polícia.


Uma bermuda encontrada no corpo é praticamente igual a que a vítima desaparecida usava, o que reforça a suspeita da Polícia Civil. Atualmente ele é o único desaparecido na cidade com esse período de tempo.

Depois daquele acidente, a polícia descobriu que a vítima usava nome falso e que na verdade era procurado pelos crimes de homicídio e sequestro, que teriam sido praticados em Cotia, na região da grande São Paulo, contra um ex-companheira.

A atual mulher dele disse que não  conhecia a real identidade dele. Além disso, o filho do casal, recém-nascido, teria sido registrado com o nome falso da vítima. 

Qualquer informação que possa ajudar na identificação é  só ligar para o Grupo Sinsef pelos telefones 3397-8400 ou 997758400.

Leave a Reply