Na região de Araraquara e São Carlos já foram registradas 146 queimadas que causaram interrupções no fornecimento de energia entre 1º de janeira a 15 de junho deste ano. O levantamento foi feito pelo Centro de Operações da CPFL Paulista, evidenciando que com as somas, são mais de 25 quedas por mês. 

No ano passado as interrupções que foram causadas por queimadas já aumentaram, visto que foram registradas 402 ocorrências, 26% a mais que as 319 de 2018. 

Com o tempo seco a preocupação aumenta para as distribuidoras e transmissões de energia elétrica, tudo por conta do risco de interrupções. “É importante a conscientização da população e dos produtores agrícolas, pois os incêndios sob a rede de distribuição de energia são, muitas vezes, causados pelo uso do fogo como método de poda de algumas plantações. O impacto das queimadas é maior ainda quando acontecem sob as linhas de transmissão, responsáveis pelo abastecimento de regiões inteiras”, alerta André Luís Marques de Souza, gerente de Operações de Campo, da CPFL Paulista.

Entre os municípios com mais interrupções na região, Araraquara registrou 57 ocorrências, ficando em primeiro lugar. São Carlos ocupa a segunda posição com 19 casos. Taquaritinga é o terceiro da lista com 17 registros enquanto Américo Brasiliense, com 14, e Rincão, com nove, fecham o ranking.

Veja a lista de interrupções causadas por queimadas em algumas cidades da região:

Tabela interrupção de energia
Fonte: CPFL Paulista

Entre janeiro e junho de 2020, a CPFL Paulista já registrou 1.474 queimadas que afetaram a rede elétrica em toda a sua área de atuação. Considerando 2019, as interrupções desse tipo cresceram 21,3% em relação a 2018. Foram 3.276 ocorrências no ano passado contra 2.700 no ano anterior.

Guardião da Vida

Considerando o impacto do assunto para a população, seja na segurança, seja na qualidade do fornecimento de energia, o grupo CPFL Energia, por meio da campanha Guardião da Vida, incentiva a discussão sobre o tema, a fim de promover uma reflexão sobre as atitudes que poderiam ser evitadas, reduzindo transtornos e até salvando vidas.

Na estiagem, a pouca umidade, a vegetação baixa e os ventos fortes são fatores que podem provocar incêndios. Além disso, até mesmo uma queimada mal controlada para atividades agrícolas também pode colocar em risco o fornecimento de energia, atingindo os cabos elétricos, desligando a rede e provocando prejuízos para os todos, além de danos ao meio ambiente e à segurança da população.

O calor do fogo, mesmo quando não atinge diretamente os cabos elétricos, junto da fuligem levada pelo vento e grandes volumes de fumaça, também pode provocar curtos-circuitos ou rompimento de cabos, interrompendo o abastecimento de cidades inteiras. O ar quente gerado pode criar um campo ionizado, propiciando o fechamento de arcos elétricos* que desligam as linhas de eletricidade.

Leave a Reply