Estudantes de Araraquara fizeram um ato de protesto e solidariedade na manhã desta segunda-feira (10) para lembrar a triste marca de 100 mil mortes provocadas pelo novo coronavírus no Brasil. O país é o segundo mais afetado pela doença, só perde para os Estados Unidos.

São duas faixas instaladas no Centro de Araraquara, que dizem: “A gripezinha matou 100 mil brasileiros”. Uma está instalada na Praça de Santa Cruz, a outra está no cruzamento da Avenida Bento de Abreu, esquina com a Rua Nove de Julho. 

Esse é o mesmo grupo de universitários que no final de junho já tinha feito um ato semelhante quando o país atingiu a marca de 50 mil mortos pela doença.

“É ato para alertar o conjunto da sociedade para a política negacionista do governo Bolsonaro. A mais grave crise sanitária do Brasil nos últimos 100 anos. É um governo que infelizmente politizou uma questão sanitária, uma questão de saúde. O que mais nos deixa indignado é a possibilidade de salvar essas vidas. Muitas mortes poderiam ter sido evitadas se o país tivesse adotado desde o início uma política séria de combate a pandemia”, argumenta o estudante Guilherme Bianco. 

“Acabamos de passar pelo Dia dos Pais, só de imaginar a quantidade de pais, filhos e parentes queridos que foram perdidos nesse momento. Foi com certeza um dia de muita dor e muito luto para mais de cem mil famílias no Brasil”, complementa ele.

O país atingiu a marca de 100 mil mortes pela doença no último sábado (08). Araraquara registrou mais 52 casos de Covid-19 no domingo (09). Portanto, hoje, dia 9 de agosto, são 2.339 casos confirmados na cidade. Do total de confirmados, 344 permanecem em quarentena e 1.974 já saíram

Leave a Reply